justiça cega

Imagina a cena!
Eu não tinha mais de nove anos de idade e meu irmão uns oito quando chegamos em casa trazidos por uma viatura.

Texto de Toni C.


Eu sem saber ler lábios, via pelo para-brisa do camburão Zé Porva dizendo:
Ih! A puliça pegou us fí di Dona Carlota. Esses nunca mi enganaru.
Senhor Juiz, antes de seguir com o meu relato sobre o que aconteceu naquele dia, preciso voltar para o futuro para delatar algumas coisas.

Sempre pensei que chegaria um dia que qualquer favelado teria o mesmo tratamento dispensado a um chefe de Estado. Afinal, todos são manos, todos são humanos, não é mesmo?
Pois acredite, esse dia chegou. Mas veio às avessas, não foi o pobre que virou rei, o morador de rua que ganhou condições dignas, reservada aos maiores líderes. Era o presidente sendo tratado como presidiário.

Bem cedo naquela sexta-feira, quando recebi a notícia de que a polícia estava na casa do ex-presidente, pensei que era só um boato, uma brincadeira dos recalcados. Parecia mais ação promocional para divulgar a nova temporada do House of Cards. Só que não. Como somos engraçados, cada vez mais fazemos arte que imita a realidade enquanto a vida vai virando nossa grande ficção, feito a revista com depoimento bomba do dia anterior, nenhum dos personagens nem o depoente se reconhecem naquele roteiro.
Mas o que quero delatar senhor, foi o que veio a seguir. Por ofício, algumas horas depois de sua prisão eu estive cara a cara com o réu. Estava alí, se acotovelando entre os profissionais da imprensa para a coletiva. “Ninguém é intocável nesse país” as hienas riem, gorjeiam, em pegadinhas e blefes. É por isso que decidi delatar, não sou X-9 não doutor, mas quero apontar quem são os intocáveis senhor juiz, para que vossa excelência faça valer a força da lei e emita ordem de condução coercitiva imediatamente a cada um.

Os Intocáveis

O primeiro dos intocáveis, é uma pessoa perigosíssima. Esse cidadão simplesmente vendeu a Petrobras. Isso, agora precisa entregar. Não se deixe levar pela aparência delicada. De tão sensível chegou a fazer tomografia ao ser atingido por uma bolinha de papel. De todos os presidenciáveis é o que mais coleciona processos. Já ouviu falar no caso da Pasta Rosa? A Lava Jato, com todo respeito senhor, é peixe pequeno perto desse escândalo. Mas eram outros tempos, o engavetador geral era o Promotor. Dizem que ele deve ter parte com o coisa ruim, seu gabinete mal assombrado é habitado por horripilantes funcionários… fantaaaaasmas!
Outro intocável é um fanfarrão. Gosta de balada, dirige embriagado e foi o melhor governador de Minas do Leblon. De tão bom, criou um aeroporto para o tio, encomendou um helicóptero com pô para senador. Só que ele é um menino desobediente e não gosta de ouvir o seu avô. Por não saber perder, é o que tem gerado toda essa bagunça, quanto pior, melhor. É o mais citado na operação que o senhor chefia, é o mais chato, não é religioso ma é o que ficava com um terço. Esqueça essa de imunidade, pra quem sequestra o maior líder sindical que a humanidade já produziu, pegar o fanfarrão será fichina.
O próximo intocável jurou que não tinha contas na Suíça. Então veio a justiça suíça, apresentou a conta e desmascarou o mentiroso, delatado por cobrar propina. Sobrou a ele pedir a cabeça da presidenta pra dele não ir primeiro. Pra se safar da cassação até assinatura falsa forjou.
O outro intocável faz pose de gente séria. Mas o rombo na construção do Metrô foi tão grande que a cratera na Estação Pinheiros engoliu um ônibus escolar, foram sete mortos e nenhuma punição. Ele deve ter algum trauma com os tempos de escola, porque gosta de bater em professor, fechar salas de aula e os estudantes responderam com ocupação. Pra descontar ele devorou o dinheiro da merenda da molecada todinha (leia mais).
Irônico é que as torneiras estavam secas e a televisão não cansava de vazar, a tal da Lava Jato, e eu me perguntando: sem água vai lavar como? Esse é outro intocável, a emissora de TV que te premiou sonega, fala do triplex que o ex-presidente não tem pra esconder o seu em Paraty cravado em área de reserva ambiental. Vê se pode!? Pensa que é dona da verdade e da liberdade. Editou o debate e enfiou goela a baixo o Caçador de Marajás. Ontem denunciava Pedaladas Fiscais, hoje o Pedalinho. Agora posa de vítima, ui jogaram um ovo no ovo que a ditadura botou.
Não vou tomar mais seu tempo doutor. Esse último intocável é fácil de achar, ele também já foi presidente. Nossa, dias difíceis aqueles, talvez você tenha perdido alguma coisa porque nesse período você estava nos Estados Unidos, dando duro, estudando. Então eu vou te contar, esse cara roubou a Vale e isso já seria um grande crime, a consequência é o crime ambiental da empresa que fabrica lama. E eu tenho provas senhor, são fotos de satélite, da pra ver direitinho a mancha invadindo o oceano, milhares de vítimas.
Tá certo, também concordo, precisamos dar a ele ampla defesa, ele também é humano. Seu caso fora do casamento é uma demonstração, não temos nada haver com sua vida íntima. Só quando o cidadão é presidente e utiliza sua influência para exilar a amante com filho na Europa, não é doutor? Afinal, verdade seja dita, ele nunca deixou faltar pensão, pagou direitinho por uma empresa de vendas nos aeroportos. Depois de assumir que o filho legitimamente não é seu, deu um apartamento em Barcelona pro filhão, pai é quem cria. Tá achando que é fácil desembolsar 200 mil euros assim à vista com o real desvalorizado. Nem vou dizer que enquanto presidente ele quebrou o país três vezes, ninguém é perfeito, ele quebrou, mas foi correndo ao FMI e mandou arrumar. Ser mau presidente não é crime, comprar a reeleição e evasão de divisas para paraíso fiscal, é.
Rápido. Expeça mandato preventivo porque esse homem pode fugir a qualquer momento para seu apartamento em Paris. Aliás, você já viu professor aposentado ter apartamento de luxo na Avenida Fouch, senhor?
Quando a gente participa de uma página da história mesmo como testemunha, ou coadjuvante, a gente sente o grande poder que isso tem. Tenho certeza que você sabe bem do que eu estou falando. Foi isso que senti naquela sexta, quando o plano de levar o sapo barbudo para Curitiba fracassou. O Nine Fingers escapou das mãos limpas.
O procurador quer prender o presidente sob acusação de ter aparecido diante às câmeras falando de cabeça erguida. Ora, senhor juiz, se o senhor gostaria de ouvi-lo pessoalmente, imagina as pessoas em suas casas, seus eleitores, gente que fez de um torneiro o maior político do século 21.
Nos tempos de escola um professor dizia que minha opinião não valia, porque eu era petista. Nunca fui petista e minha opinião, bom é apenas uma opinião.
Conforme prometi, relato que eu aos nove anos fui trazido para casa por policiais quando me perdi de meu pai no centro da cidade. A solução que meu irmão sugeriu foi informar aos policiais que éramos dois meninos perdidos e eles nos levaram pra casa. Nem tudo que parece, é.
Anos depois o rap abriu meus olhos para o modus operandi de maus policiais e perceber o quão tendencioso e nocivo é a televisão.
Assisti o senhor no telejornal senhor juiz, o senhor dizia que não tem simpatia partidária, que sua profissão não permite ter preferências e opção. Justiça não é massacrar alguém até que essa pessoa confesse algo enquanto afaga outros pegos em fragrante. Justiça é tratar o apreciador de vinhos com equidade daquele que bebe cerveja ou o que sofre com a falta d’água.
O restante é golpe.

Toni C. é autor da biografia Sabotage – Um Bom Lugar, do romance O Hip-Hop Está Morto e organizador dos livros Hip Hop a lápis e Hip Hop a lápis – A literatura do oprimido. Também é integrante do Conselho Nacional de Cultura na área de Livro, Leitura e Literatura, membro da direção da Nação Hip-Hop Brasil, diretor de cultura da ORPAS, diretor do coletivo LiteraRUA e integrante do Portal Vermelho, onde este texto foi incialmente publicado.